home > notícias

ASSOCIADOS

10/03/2017

Empiricus: O que aprendi com os piores

Quando se trata de investir, é importante aprender com os melhores. Todavia, também é relevante tomar atenção ao que fazem os piores.

Ontem à noite participei numa palestra com uma conceituada gestora de fortunas de Wall Street…

Fiquei impressionado com a visão assertiva que tem dos poupadores portugueses. Ainda mais porque conhece muito bem a realidade norte-americana.

Dizia ela – e eu tendo a concordar – que em Portugal não existem verdadeiros investidores.

Existem aforradores e especuladores.

Os primeiros, não abandonam o falso conforto do depósito a prazo por nada deste mundo. Os segundos, andam sempre atrás da última moda.

E ninguém quer aprender.

Na Empiricus, até concordamos com a primeira afirmação. Em relação à segunda, estamos aqui exatamente para mudar esse panorama. Temos uma missão que achamos particularmente distinta: ensinar os nossos leitores a serem financeiramente livres.

Nesse sentido, quando se trata de investir, é importante aprender com os melhores. Todavia, também é relevante tomar atenção ao que fazem os piores.

Vários são os erros que pode estar a cometer, que simplesmente destroem as suas possibilidades de gerar riqueza no mercado financeiro no longo prazo.

Já que o dia lá fora é de ligeiras subidas no mercado financeiro…

Aproveito este M5M, para falar-lhe daqueles que considero os mais graves.

01:22 - Não ter objetivos de investimento claros

A frase de Lewis Carroll: “se não sabe para onde vai, qualquer caminho serve” é tão verdadeira na hora de investir como em qualquer outra coisa na vida.

Tudo, desde o planeamento de uma estratégia à percentagem que deve distribuir em diferentes ativos, e até mesmo quais os títulos que pode comprar, pode – e deve – ser configurado tendo em conta as suas metas.

Não raras vezes, os investidores focam-se nas últimas tendências do mercado e procuram maximizar os seus retornos aumentando excessivamente a sua exposição a um setor ou classe de ativos.

Mas quando o mercado vai contra eles…

Puff… acaba-se o jogo.

No final do dia, o investidor deve ter claro na sua cabeça qual é o seu objetivo na hora de investir. Se o faz por fazer, porque ouviu uma dica na tasca ou para se gabar junto dos amigos… então, meu caro, os resultados tendem a ser medíocres.

02:07 - Comprar em alta e vender em baixa

O princípio fundamental é comprar barato e vender caro. Mas então por que é que tantos investidores fazem o contrário?

Em vez de decisões racionais, vários investidores são motivados por uma luta interna entre medo e ganância.

Em muitas situações, as pessoas tendem a comprar em alta numa tentativa de maximizar os resultados de curto prazo, em vez de focarem-se nos objetivos de longo prazo.

Essa obsessão com retornos de curto prazo leva-nos (sim, também cometi esse erro) a ir atrás da manada…

O que convenhamos, é ilógico. Se uma estratégia (ou investimento) se torna muito popular e já anda na boca de toda a gente, então é cada vez mais difícil ter uma vantagem em determinar o seu real valor.

A partir daí até virar pó… é uma questão de tempo.

3:14 - Remexer muito e demasiadas vezes

Quando se investe, a paciência é uma virtude.

Demasiadas vezes, as teses de investimento (ou uma estratégia) demoram bastante tempo para se materializarem.

Isso significa que os ganhos apenas acontecem lá para a frente…

A alteração constante das táticas de investimento e da composição do portfólio têm o condão de reduzir o retorno porque aumentam os custos de transação, ao mesmo tempo que aumentam as probabilidades de incorrer em risco que não é compensado e não foi antecipado.

Quando se sente preocupado com as suas posições, deve usar essa urgência para perceber mais sobre os ativos que tem em carteira, ao invés de estar sempre a rodar o seu portfólio…

É por isso que no Carta Empiricus temos uma preocupação especial em explicar muito bem as nossas escolhas… apenas clientes bem informados sobre as suas decisões conseguem aguentar as intempéries que acontecem sempre no mercado.

Desse ponto de vista, apesar de termos uma visão bastante cética em relação à recente euforia das bolsas, temos recomendações que já sobem mais do que 7% no ano. Recomendo a quem ainda não teve a oportunidade que veja como pode construir uma carteira, sem correr riscos ingovernáveis.

A nossa política de satisfação permite um test drive de 20 dias… portanto, em última análise, não perde nada em tentar.

04:10 - Ainda faz sentido?

Se está investido num portfólio diversificado, existe uma grande probabilidade de alguns ativos terem subido e outros terem caído…

É exatamente esse o propósito.

No final de um trimestre ou de um ano, a sua carteira – que construiu com um planeamento cuidadoso – começará a ficar muito diferente.

Não fique muito longe da sua alocação estratégica.

Nesse sentido, pelo menos uma vez por ano deve verificar se as suas posições ainda fazem sentido, e se o seu portfólio não precisa de ser rebalanceado.

Fonte: https://www.empiricus.pt/mercado-em-5/o-que-aprendi-com-os-piores/



NOTÍCIAS RELACIONADAS
24/03/2017
Embraer: Brasil desenvolve tecnologia para lançamento de satélites produzidos no país e com foguete próprio
24/03/2017
Shoppings da Sonae Sierra Brasil participam da Hora do Planeta
24/03/2017
Hotel Tivoli Lisboa reabre com novo design
24/03/2017
Programa da EY incentiva mulheres empreendedoras
24/03/2017
O vinho sobe ao palco do Teatro Tivoli
24/03/2017
Sonae Sierra Brasil presenteia clientes nesta Páscoa