home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

08/08/2017

Taxa de juro dos empréstimos em Portugal bate mínimos históricos

Empresas e famílias têm hoje em dia a possibilidade de pedir dinheiro à banca com os juros mais baixos de sempre.

Taxa de juro dos empréstimos em Portugal bate mínimos históricos
      
Os dados revelados pelo Banco de Portugal não deixam margem para dúvidas: "Em junho de 2017, a taxa de juro média dos novos empréstimos concedidos a sociedades não financeiras foi de 2,60%, o que representa uma redução de 14 pontos base face a maio, constituindo um novo mínimo histórico". 
 
"A diminuição verificou-se tanto nas operações abaixo de 1 milhão de euros como nas operações acima de 1 milhão de euros, com as taxas a fixarem-se em 2,97% (3,11% em maio) e 2,13% (2,17% em maio), respetivamente", garante o banco regulador nacional num comunicado oficial divulgado esta terça-feira. 

Mesmo com taxas mais baixas, o volume total de novos empréstimos caiu no primeiro semestre em comparação com o mesmo período do ano passado, para os 13,927 mil milhões de euros (por comparação com os 15,45 mil milhões do primeiro semestre de 2016.

Infelizmente, a tendência de juros baixos também afeta os depósitos a prazo, que pagam menos do que alguma vez pagaram: "Em junho de 2017, a taxa de juro média dos novos depósitos, até um ano, de sociedades não financeiras fixou-se em 0,20%, 6 p.b. abaixo da observada em maio (Gráfico 3). No caso dos particulares, o valor médio da taxa dos novos depósitos, até um ano, foi de 0,28%, o que representa um acréscimo de 4 pontos base face ao verificado em maio".

Fonte: Notícias ao Minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
07/11/2017
António Costa: “Portugal é um ótimo sítio para investir”
07/11/2017
Investimento imobiliário em Portugal reforçado por mais 12 meses
07/11/2017
Há um ano foram ao Web Summit. O que é feito destas startups?
07/11/2017
Governo adota campanha “fortíssima” para atrair Agência do Medicamento
06/11/2017
É mais barato fazer faculdade em Portugal ou no Brasil?
06/11/2017
Organização da Web Summit está “convencida” a ficar em Portugal, diz Ana Lehman