home > notícias

MUNDO

02/02/2018

Há uma portuguesa entre as finalistas da "árvore europeia do ano"

Iniciou-se nesta quinta-feira a votação no concurso online “Tree of the year” que convida todos os europeus a eleger a árvore do ano entre 13 árvores finalistas. Entre estas, está uma portuguesa. Bem velhinha.

O exemplar nomeado, um sobreiro assobiador (Quercus suber) de 234 anos, foi plantado em 1783 em Águas de Moura, no concelho de Palmela, e deve o seu nome aos múltiplos pássaros que usam os seus ramos como refúgio.

O concurso “European Tree of The Year” não se baseia na beleza, tamanho ou idade das árvores mas centra-se na importância da história de cada uma, visando assim a destacar a ligação emocional que os habitantes e comunidades têm com as árvores bem como a sua importância para a herança natural e cultural de cada país.

árvore alentejana, descortiçada mais de 20 vezes desde 1820, encontra-se classificada como árvore de interesse público desde 1988, estando até no Livro de Recordes do Guiness por ser o maior sobreiro do mundo. Com 14 metros de altura e 4,15 metros de perímetro tem ainda, segundo a organização, uma grande relevância para o ecossistema e na luta contra as mudanças climáticas.

O concurso foi inspirado pelo concurso checo homónimo, organizado na República Checa durante muitos anos e que se expandiu para a Europa em 2011. Desde aí, a organização deste concurso é da responsabilidade da Environmental Parternship Association (EPA), um consórcio de seis fundações da Bulgária, República Checa, Hungria, Polónia, Roménia e Eslováquia.

A mais recente edição elegeu 13 finalistas das quais são exemplos, além do espécime português, uma sequóia búlgara, uma castanheira húngara e um ulmeiro espanhol.

A votação, que costuma receber 200 mil votos anuais provenientes de todos os cantos da Europa, decorre no site de 1 a 28 de Fevereiro onde, além das imagens das árvores concorrentes, é possível ler a história de cada um dos exemplares. Na última semana da votação, o número de votos arrecadado por cada exemplar será ocultado para garantir que os vencedores são uma total surpresa.

Os resultados serão anunciados a 21 de Março, data que coincide com o Dia Internacional das Florestas, numa cerimónia que decorrerá no Parlamento Europeu em Bruxelas, onde serão ainda atribuídos prémios aos vencedores, isto é, as entidades que os propuseram. No caso nacional, foi a União da Floresta Mediterrânica.

Todos os interessados em votar deverão escolher os dois exemplares favoritos (segundo recomendação da organização) aqui.

 Fonte: Publico.pt



NOTÍCIAS RELACIONADAS
06/11/2018
A celebração de Sophia de Mello Breyner Andresen no ano do centenário
06/11/2018
Portugal e China criam laboratório tecnológico para estudar espaço e oceanos
06/11/2018
Festival literário de Viseu vai contar com dois prémios Camões
06/11/2018
Cientistas de Coimbra descobrem alternativa à base cancerígena dos plásticos
06/11/2018
Mariza é a vencedora do Prémio Luso-Espanhol Arte e Cultura 2018
06/11/2018
Prédio do Masp na Av. Paulista, projetado por Lina Bo Bardi, completa 50 anos