home > notícias

ASSOCIADOS

09/10/2018

Veja como fazer um bom planejamento financeiro pessoal [Claritas]

O planejamento financeiro pessoal é uma das principais ferramentas para gerenciar receitas e gastos de forma eficiente. Ao usar o recurso como aliado, você consegue organizar tudo o que recebe e, também, aquilo que gasta, assumindo o controle das suas finanças pessoais.

Entre os passos necessários para fazer um planejamento financeiro pessoal organizado e completo estão: entender a situação real da sua vida financeira; definir quais são seus objetivos em relação às finanças e registrar todas as receitas e despesas.

Entender seus gastos, comparar preços, aprender a usar o cartão de crédito, criar uma reserva de emergência e, ainda, investir dinheiro também são essenciais para quem deseja planejar suas finanças e ter segurança no futuro.

Para criar um planejamento financeiro pessoal eficiente ainda não podem ser deixados de lado pontos como: os perigos de comprar a prazo, a importância de ser realista ao traçar objetivos e como é essencial viver dentro de um padrão de vida compatível com a realização dos seus sonhos.

Fazer uma reserva para a aposentadoria e estar sempre atualizado em relação aos conceitos de educação financeira são outros cuidados para se planejar da melhor forma e cuidar bem das suas finanças.

Quer aprender a fazer um bom planejamento financeiro pessoal? Então, continue lendo e confira como se sair bem!

Saiba qual é a sua situação financeira real

O primeiro passo para fazer um bom planejamento financeiro pessoal é ser honesto e analisar qual é a sua atual situação financeira. Quanto ganha, quanto gasta, suas possíveis dívidas, investimentos realizados, etc.

Mesmo pequenas despesas e receitas, que à primeira vista podem parecer insignificantes, devem ser consideradas nessa análise. Somados, esses pequenos valores podem fazer toda a diferença no orçamento.

Com essas informações em mãos, você pode traçar um planejamento realmente adequado às suas necessidades e desejos, fazendo o dinheiro trabalhar a seu favor e da sua família.

Defina objtivos financeiros 

Depois de entender a situação das suas finanças, chega o momento de definir quais são seus objetivos para essa fase da vida. Pense no que gostaria de realizar em curto, médio e longo prazo, como fazer uma viagem de férias, comprar um carro, aumentar o patrimônio líquido ou poupar para ter uma aposentadoria tranquila no futuro.

Após a definição dos seus objetivos, divida-os em metas possíveis de serem realizadas. O que você precisa fazer para realizar uma viagem de férias? Estipule quanto dinheiro deve poupar e por quanto tempo para conseguir bancar custos de passagens aéreas, hospedagem, alimentação, transporte, reserva de segurança, etc.

Para os objetivos financeiros se tornarem realidade é essencial criar um passo a passo e acompanhar se está conseguindo cumprir cada etapa.

Registre todas as receitas e despesas 

Um bom planejamento financeiro pessoal passa por um controle eficiente das finanças. Nesse sentido, não deixe de registrar todas as suas receitas e despesas.

Tenha em mente que, mesmo os pequenos gastos, como um sorvete após o almoço ou o bilhete do metrô, devem ser anotados. Juntas, essas despesas podem ter impacto significativo no orçamento.

São várias as ferramentas disponíveis para controle financeiro, desde apps para celular até planilhas de Excel, passando pelo bom e velho papel e caneta. Escolha o sistema mais adequado ao seu estilo de vida.

Independentemente da forma que fará o gerenciamento de receitas e despesas, é importante criar o hábito de fazer o controle financeiro.

Entenda seus gastos

Depois de tornar o controle financeiro um hábito, é preciso conhecer e entender os seus gastos. Dessa forma, você avalia para onde está indo seu dinheiro e se suas despesas estão realmente de acordo com suas possibilidades.

Além de anotar os valores dos gastos, categorize cada um deles, separando-os em despesas essenciais (fixas e variáveis) e supérfluas.

Se perceber que gasta mais do que devia em categorias que são dispensáveis, como lazer, viagens e vestuário, pode ser interessante colocar o pé no freio para manter a segurança financeira.

Para ter uma vida financeira saudável, é preciso garantir que seu dinheiro está sendo gasto em áreas que são consideradas prioridades para você e para sua família. Revisite, sempre que possível, seus objetivos financeiros para garantir que suas despesas estão alinhadas com eles. 

Crie metas de despesas

Um passo importante para um bom planejamento financeiro pessoal é a criação de metas para suas despesas. Com seu orçamento mensal em mãos, defina quanto gostaria (ou poderia) gastar em cada categoria dele.

Comece sempre pelas despesas essenciais fixas, como parcela de um financiamento, condomínio, aluguel, mensalidade de colégio, etc. Em seguida, distribua o restante para as outras áreas do orçamento, como lazer e cuidados pessoais.

Além de definir metas de gastos, é importante acompanhá-las para não ter surpresas no final do mês. Se gastar mais do que deve em determinada categoria, busque compensar em outra.

Ficar no vermelho e ter que arcar com os juros altíssimos de produtos como cheque-especial e rotativo do cartão de crédito é uma atitude que pode colocar a perder todo o esforço despendido na construção de um bom planejamento financeiro pessoal.

Compare preços

Para manter as finanças em dia, é preciso não só controlar os gastos, mas também consumir de forma inteligente. Isso inclui não gastar mais do que deve em determinados produtos por não ter pesquisado os menores preços e descontos.

Sempre compare valores antes de comprar alguma coisa, por menor que seja a aquisição. Use ferramentas online para comparação de preços ou simplesmente percorra várias lojas. É comum no varejo algumas lojas cobrirem os preços da concorrência. Então, ao criar esse hábito, você pode economizar de forma considerável.

Use o cartão com sabedoria

cartão de crédito é visto como vilão das finanças. Na verdade, quando bem utilizada, essa forma de pagamento pode ser uma aliada do seu planejamento. Para isso, basta gastar com consciência e acompanhar toda e qualquer despesa feita com o “dinheiro de plástico”.

Fuja dos parcelamentos e veja se é possível adquirir benefícios, como acúmulo de pontos/milhas, isenção de anuidade e descontos em produtos e serviços.

Controlar os gastos no cartão de crédito também é mais fácil com aplicativos de gerenciamento financeiro ou, até mesmo, oferecidos pela própria operadora dessa forma de pagamento. Veja sempre como anda seu limite de crédito e garanta que conseguirá pagar o total da fatura no mês seguinte.

Caso não consiga resistir à tentação de sacar o cartão em compras por impulso, deixe-o em casa e use o “dinheiro de plástico” apenas em situações especiais. Pelo bem do seu planejamento financeiro pessoal, resistir é preciso!

Tenha uma reserva de emergência

Um passo importante para manter seu planejamento financeiro pessoal em dia é criar uma reserva para gastos que não foram previstos. Ao ter esse fundo, você evita ficar no vermelho caso tenha alguma despesa inesperada, como um carro batido ou uma doença na família.

O ideal é ter uma reserva equivalente a seis meses de despesas da casa. Assim, você pode recorrer a essa quantia para cobrir um gasto repentino.

É importante também garantir que esse dinheiro esteja guardado em um investimento que ofereça liquidez. Assim, você pode sacar determinado valor sempre que ocorrer uma emergência. Lembre-se de, posteriormente, repor a quantia que retirou para não desfalcar sua reserva de emergência!

Aprendra a investir 

Na hora de fazer e acompanhar seu planejamento financeiro pessoal, é importante prever a reserva de uma quantia para seus investimentos. Quem já tem uma reserva de emergência e está livre de dívidas pode poupar um pouco todo mês para objetivos financeiros diversos.

O ideal é que a quantia reservada para investimento seja separada logo no início do mês. Assim, você não corre o risco de gastar o valor em outras áreas do orçamento. 

Investimento é uma questão de hábito. Estude, leia os materiais de divulgação e busque aplicações adequadas a seus objetivos, perfil de investidor e, também, às suas possibilidades financeiras.

Procure comprar à vista

Não são poucas as ocasiões em que há a tentação de dividir uma compra em diversas parcelas para, assim, ter a sensação de que está pagando menos pelo produto ou serviço. Apesar de, à primeira vista, dividir uma aquisição em quantias menores parecer uma boa ideia, a longo prazo isso pode prejudicar seu planejamento financeiro pessoal.

Você pode esquecer de considerar a parcela no orçamento do mês seguinte ou, até mesmo, não ter dinheiro suficiente para quitar o restante da compra por diversos motivos.

Evite prejudicar seu planejamento financeiro optando por comprar à vista, sempre que possível. Pagar na hora por determinado produto ou serviço evita fazer dívidas futuras e, ainda, é uma forma de pleitear bons descontos. Muitas empresas oferecem abatimentos consideráveis caso o pagamento não seja parcelado. 

Compre somente o que precisa

A compra por impulso é uma das principais inimigas de quem deseja manter um bom planejamento financeiro pessoal.  Para vencer esse obstáculo é essencial usar o bom senso e a disciplina como aliados para economizar

Antes de fazer qualquer aquisição, se pergunte se precisa mesmo daquele bem ou serviço. Reflita se não é possível, por exemplo, pedir determinado produto emprestado em vez de comprar. Se for necessário, espere um ou dois dias antes de comprar para garantir que a compra é realmente necessária. 

Se você faz parte do grupo que tem dificuldade em resistir às tentações do mundo do consumo, prefira trocar passeios no shopping ou horas despendidas em e-commerces por outras atividades. Assim, você corre menos risco de comprar o que não precisa. Sair apenas com o dinheiro que usará no dia é outra estratégia para fugir das aquisições desnecessárias.

Seja realista ao traçar objetivos

Agora que você já sabe sobre a importância de traçar objetivos financeiros para fazer um bom planejamento pessoal, é importante entender que ser realista na hora de elencar essas prioridades é inegociável. 

De nada adianta traçar o objetivo de comprar um apartamento em um ano se suas receitas e despesas não forem compatíveis com esse desejo. Não há problema em ter sonhos ambiciosos. Só é importante dividir objetivos maiores em metas menores que, executadas com disciplina, em pequenos passos, resultarão na realização daquilo que deseja.

Viva de acordo com seu padrão de vida

Muitas pessoas não conseguem manter seu planejamento financeiro pessoal em dia por não viverem de acordo com seu padrão de vida. Gastam mais do que podem em áreas como lazer e cuidados pessoais e, no final do mês, não conseguem guardar nenhum dinheiro ou, pior, ficam no vermelho por terem despesas mais altas do que poderiam.

Evite cometer esse equívoco ao garantir que vive dentro das suas possibilidades financeiras. Para manter as finanças em equilíbrio e garantir que está caminhando em direção à realização dos objetivos de vida, abrir mão de alguns gastos pode ser necessário. Pense no futuro e só gaste aquilo que realmente pode!

Faça uma reserva para aposentadoria

Um bom planejador financeiro também pensa no futuro. Nesse sentido, é essencial prever uma reserva para a aposentadoria. Estime as receitas que terá ao se aposentar e coloque no papel quanto precisará guardar para viver com tranquilidade nos anos futuros.

Para isso, defina qual renda mensal gostaria de contar para manter seu padrão de gastos. Não subestime suas despesas! Na terceira idade, nem sempre os gastos são menores. É preciso considerar o aumento de gastos com a saúde, por exemplo.

Tenha em mente que quanto antes você começar a fazer seus investimentos para a aposentadoria, melhores serão seus resultados. 

Aprenda sobre educação financeira 

A melhor forma de criar e manter um planejamento financeiro pessoal que funcione para você é com o domínio dos principais conceitos de educação financeira. Estude sobre o assunto por meio de livros especializados, filmes, blogs e outras mídias confiáveis.

A internet é uma fonte inesgotável de informações sobre o tema. Procure fontes confiáveis e use todos esses dados disponíveis na web a favor das suas finanças!

O planejamento financeiro pessoal eficaz passa por análise constante do orçamento e pelo registro e documentação de todas as entradas e saídas da conta corrente e cartões.

Mantenha suas contas organizadas, compare preços e taxas e tenha sempre em mente quais são seus objetivos financeiros. 

Para o planejamento realmente funcionar é importante estabelecer metas de gastos e, é claro, segui-las. Apenas dessa forma você garante que seu dinheiro está sendo usado naquilo que realmente é importante para você. 

Quer cuidar ainda melhor das suas finanças e ter segurança no futuro? Não deixe de ler também sobre os 7 passos para desenvolver a sua inteligência financeira.

Fonte: Assessoria

04/10/2018

 

 



NOTÍCIAS RELACIONADAS
12/12/2018
O falso fim do planejamento tributário [Franco Advogados]
11/12/2018
Terceiro avião Airbus A321neo da TAP fez primeiro voo comercial [TAP]
11/12/2018
Onde investir o seu décimo terceiro? 5 opções de investimento [Claritas]
11/12/2018
O valor do mar, em todas as suas nuances, sai em livro [Essential Idea]
11/12/2018
Empresa da Mota-Engil no México investe 121 milhões de euros na energia [Mota Engil]
11/12/2018
PERT - consolidação da modalidade “demais débitos” no âmbito da RFB (Brasil) [FCB Legal]