home > notícias

ASSOCIADOS

13/03/2019

Conheça a encantadora Vila de Sintra [Nacionalidade Portuguesa]

Imagine uma vila européia, nascida por entre montanhas, imagine uma vegetação exuberante. Agora pense em castelos, palácios, parques, jardins, bosques, conventos, igrejas, capelas. Essa é a encantadora Vila de Sintra. Cenário romântico e charmoso perfeito para uma visita ou para morar. Deixe-se levar por todas as suas atrações e usufrua desse cantinho adorável de Portugal.

Sintra

Com o título de Patrimônio Mundial, Paisagem Cultural pela UNESCO desde 1992, a Vila de Sintra, outrora escrita Cintra com a letra C, se apresenta com um conjunto de encher os olhos. Reunindo desde a vegetação da serra que se completa com jardins e bosques, até castelos, palácios e ruazinhas. Todos ajudam a fazer da vila, uma testemunha de vários momentos históricos de Portugal.

Com vestígios da ocupação humana desde o período Neolítico e Idade do Bronze. Sintra passou também pela ocupação romana no período antes de Cristo e por domínio muçulmano no século X, sendo reconquistada posteriormente no século XI pelos portugueses. Pela divisão que se faz em Portugal, Sintra é considerada uma Vila,  o Distrito de Lisboa. Mas que é sede de um Município, que integra 11 Freguesias (como se fossem grandes Bairros). Dessa maneira o município se estende até o litoral, encontrando o Oceano Atlântico.

Mas no texto vamos tratar da charmosa Vila de Sintra, ou então, a mais romântica das cidades portuguesas. Só um lugar único como Sintra, para ganhar citações de escritores como Eça de Queirós, ícone romancista da língua portuguesa do século XIX, que eternizou a vila em romances como o Primo Basílio, A Tragédia da Rua das Flores e a obra-prima Os Maias de 1888.

Vamos descobrir os lugares encantadores que fazem de Sintra um lugar especial.

Palácio e Jardins da Pena

Principal cartão postal de Sintra, fica situado no Monte da Pena. Representa o primeiro palácio do revivalismo romântico na Europa no século XIX. Moradia de reis e de rainhas, o palácio foi construído na área de um antigo convento e fora criado por Dom Fernando. Ele casou com a rainha D. Maria II, decidindo ali estabelecer o palácio de verão da família real.

O estilo do Palácio da Pena é a contemplação de vários estilos juntos. Desde o neo-gótico, neo-islâmico, neo-renascentista e neo-manuelino, com jardins em estilo inglês, e uma infindável variedade de espécies exóticas de árvores e plantas. Já no interior do castelo, pode-se ver a decoração escolhida pela realeza da época, com destaque especial para os azulejos.

Dica: Há dois valores para a entrada no espaço do Palácio e dos Jardins. Um que inclui os jardins e outro que  engloba os jardins e a entrada no Palácio. Se você não tiver tempo ou interesse de visitar o palácio por dentro, não se preocupe, pois o acesso aos jardins também garante passear 360 graus no entorno do palácio, o que vai garantir excelentes fotos e uma vista incrível do Castelo dos Mouros.

Castelo dos Mouros

O castelo leva esse nome, porque fora construído em meados do século VIII entre dois cumes da Serra de Sintra, durante a ocupação do Mouros na Península Ibérica. Depois de muita disputa o Castelo foi tomado por D. Afonso Henriques em 1.147. Em virtude do cristianismo ser a base da religião dos portugueses, no Castelo foi construída a primeira capela cristã da região de Sintra.

Já no período de 1860, no controle de D. Fernando II, as muralhas foram restauradas e teve-se um cuidado todo especial com a arborização e paisagismo do local. Ainda restam intactos para se apreciar a Cisterna Moura e o Torreão Real.

O Castelo dos Mouros é considerado desde 1995, Patrimônio Mundial pela Unesco. Dele pode-se avistar a vila de Sintra, o Paço de Sintra, o Palácio da Pena, a serra e dependendo da visibilidade, toda a planície até ao oceano.

Dica: Sabendo que o Castelo dos Mouros fica situado no alto da Serra de Sintra, há vários meios de transporte que o visitante pode utilizar. Desde carros alugados, tuk-tuks ou até ônibus. Mas para aqueles que são mais aventureiros e estão dispostos a uma trilha no meio da vegetação da Serra, sugerimos pegar o caminho da Vila Sasseti. Com cerca de 2 quilômetros de extensão e que possibilita uma vista incrível de Sintra. Esse caminho, liga o Centro Histórico da Vila de Sintra ao Castelo dos Mouros e até o Palácio da Pena.

Palácio e Quinta da Regaleira


Dos sonhos de um milionário, surgiu a ideia e a concretização do Palácio e da Quinta da Regaleira. No início do século XX, surgiu este que é um dos lugares mais incríveis de Sintra. Pelo desejo de Antônio Augusto Carvalho Monteiro com a ajuda do arquiteto e cenógrafo Luigi Manini.

A atmosfera da Quinta da Regaleira é indescritível para quem a visita, mesmo perto do centro histórica de Sintra, ela revela um ar diferente de tudo o que há em volta. Formada por uma vegetação exótica e muito bem cuidada, lagos e grutas. As construções, tanto do Palácio como dos adornos que seguem pelos jardins, são exemplos do estilo romântico revivalista com peças góticas, manuelistas e renascentistas, numa conjunção com aspectos de simbologia esotérica.

Dica: Não deixe de visitar a Capela da Santíssima Trindade. Esta da direito a descer à cripta e à descida pela famosa escadaria em espiral, levando ao poço iniciático.

Palácio Nacional de Sintra

O Palácio Nacional de Sintra, também conhecido como Palácio da Vila , ou Palácio das Chaminés, é um exemplo vivo da história de Portugal, remontando a permanência da realeza até os últimos momentos da monarquia.

O início da sua construção iniciou-se no século XV com um misto de estilos, do medieval até o gótico, renascentista e romântico. De fácil identificação pelas suas duas torres, ou melhor, suas duas chaminés de 33 metros, que partem da cozinha do Palácio. É também muito atrativo  internamente por toda a coleção decorativa que a realeza se prestou a acumular.

Além disso, o Palácio é um deleite para os apreciadores de azulejos da Arte Mudéjar. Aqueles que combinam os estilos artísticos cristãos aos islâmicos.

Dica: Experimente fotografar o Palácio por diversos ângulos por entre as árvores que seguem pelo caminho que leva até ele. Essa pode ser a moldura ideal que dará todo o destaque para esse lindo Palácio.

O que fazer além dos Castelos e Palácios

Sintra tem muito mais para oferecer, por isso não deixe de passear pelas ruazinhas do centro histórico. Além de  conhecer o comércio local e restaurantes da Vila.

Por falar em comer, em Sintra há duas grandes tradições gastronômicas. Os Travesseiros de Sintra e as Queijadas, e uma das opções mais tradicionais para provar os doces é a Doceria Piriquita, com mais de uma unidade na vila. Outra sugestão muito interessante é o passeio de Elétrico (ou bonde), que leva até a Praia das Maçãs em um percurso de 45 minutos.

A saída do Elétrico de Sintra acontece ao lado do Museu das Artes de Sintra e depende da estação do ano para que seja ofertado em diferentes horários. Para acertar em cheio o horário, confira aqui.

A Vila de Sintra ainda é o ponto partida ideal para outras atrações em suas freguesias, como Parque e Palácio de Monserrate, Convento dos Capuchos, Palácio Nacional de Queluz, Parque Natural de Sintra-Cascais, Cabo da Roca, Praia da Adraga, Azenhas do Mar, Praia das Maçãs e Praia Grande.

Fonte: Nacionalidade Portuguesa



NOTÍCIAS RELACIONADAS
16/07/2019
Evento - Atlantic Connection 2019 [Atlantic Hub]
16/07/2019
Pós-FLIP: Conversa com Miguel Gomes e Camila Mota [Consulado Geral de Portugal em São Paulo]
16/07/2019
STJ firma entendimento acerca das penalidades aplicáveis à construtora em caso de atraso na entrega de imóvel [FCB Sociedade de Advogados]
16/07/2019
Saiba como obter Autorização de Residência para trabalhar em Portugal de forma independente [Asa Lawyers]
16/07/2019
EDP promoverá exposições, shows e debates na 17ª Festa Literária Internacional de Paraty [EDP]
16/07/2019
Ricardo Pereira organiza clínica de golf em empreendimento de brasileiros em Portugal [Belas Clube de Campo]