home > notícias

ASSOCIADOS

06/08/2019

Alterações às regras aplicáveis à intimação para obras e sua execução coerciva [Antas da Cunha Ecija]

Com a publicação do novo Decreto – Lei n.º 66/2019, de 21 de maio, em Diário da República, as autarquias passam a ter um poder acrescido para atuar em prédios devolutos e em mau estado, nomeadamente no que respeita à execução de obras de manutenção, reabilitação, ou demolição e a sua execução coerciva, podendo inclusive proceder ao arrendamento forçado do imóvel.

As novas alterações concretizam-se nomeadamente no seguinte:

  • Notificação das autarquias aos proprietários para a intimação de ato devido, como a realização das obras de manutenção, reabilitação ou demolição no âmbito do dever legal de conservação de edifícios e de garantia das condições mínimas de habitabilidade;
  • Realização de vistorias prévias aos imóveis pelas autarquias;
  • Tomada de posse administrativa dos imóveis para dar início à execução imediata de obras coercivas, quando os legítimos proprietários não procederem às obras a que foram intimados;
  • Criação de mecanismos legais que permitam o ressarcimento de todas as despesas incorridas na execução de obras coercivas pelas autarquias, i.g. cobrança judicial de dívidas, arrendamento forçado;
  • Reforçar o âmbito da figura do arrendamento forçado previsto no Regime Jurídico da Reabilitação Urbana (“RJRU”).

Com efeito, as autarquias poderão assim arrendar de forma forçada os imóveis, o que vai permitir às câmaras substituir a execução fiscal de dívidas por falta de pagamento pelos proprietários das obras coercivas que não fizeram, mas foram realizadas pelas câmaras municipais. O arrendamento de edifícios ou frações autónomas é assumido pelo prazo necessário até ao recebimento do valor devido através das rendas.

O diploma em apreço cria, assim, mais um conjunto de medidas com o objetivo de favorecer o mercado do arrendamento, compelindo os proprietários a colocar os imóveis devolutos no mercado.

Fonte: Antas da Cunha Ecija

Antas da Cunha Ecija
Antas da Cunha Ecija
Antas da Cunha Ecija



NOTÍCIAS RELACIONADAS
21/08/2019
Mudança é bom. Mas como lidar com as emoções que ela provoca? [Gi Group Brasil]
20/08/2019
Apresentação de Registro Criminal por Cidadãos Estrangeiros [Asa Lawyers]
20/08/2019
Como garantir a segurança dos alimentos, da cadeia de produção do campo para o consumo [Apcer Brasil]
20/08/2019
Startups e pequenos empresários – primeiros passos [Franco Advogados]
20/08/2019
Hospital BP é reconhecido pela qualidade dos dados sobre câncer compartilhados pela instituição [BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo]
20/08/2019
Receita Federal entende que alienação de quotas de FII deve ser tributada à 20% [FCB - Sociedade de Advogados]