Notícias

You are here:

Antonio Costa aceita convite do primeiro-ministro ucraniano para visitar Kiev

Na última quarta-feira, o primeiro-ministro aceitou o convite do seu homólogo ucraniano para visitar a Ucrânia em data ainda a acertar, ocasião em que será assinado um acordo financeiro bilateral no âmbito do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Este convite foi transmitido por António Costa em declarações aos jornalistas em São Bento, depois de se reunir com o primeiro-ministro ucraniano, Denys Shmygal, por videoconferência, encontro que teve como temas centrais as relações bilaterais entre dos dois países e a guerra provocada pela invasão russa da Ucrânia.

“O primeiro-ministro convidou-me a visitar a Ucrânia em data a acertar, convite que aceitei. Incluirá um encontro com o Presidente da República da Ucrânia, Volodymyr Zelensky”, declarou o líder do executivo português.

Ajuda

Na semana passada, em entrevista à agência Lusa, a embaixadora da Ucrânia em Lisboa fez uma avaliação positiva do acolhimento de milhares de refugiados que chegaram a Portugal desde a invasão do seu país pela Rússia, há dois meses, destacando a ação das câmaras municipais.

“Os refugiados aqui são muito bem acolhidos e têm a possibilidade de usar todos os serviços necessários”, afirmou Inna Ohnivets.

Na mesma entrevista, a embaixadora considerou que a reabertura da Embaixada de Portugal em Kiev seria um passo importante para a segurança na capital ucraniana e para que mais países regressem à Ucrânia.

“Já muitas outras embaixadas começaram a restaurar o seu trabalho em Kiev”, afirmou a embaixadora da Ucrânia em Portugal, que tem mantido contatos com o Governo português, nomeadamente com o ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho.

No passado dia 21, o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, discursou perante a Assembleia da República por videoconferência.

Após este discurso, António Costa considerou que as palavras proferidas pelo Presidente ucraniano abalaram quem as ouve e realçaram que Portugal tem apoiado a Ucrânia nos quadros bilateral da União Europeia e NATO.

“Cada dia de guerra é mais um dia de dor insuportável. As palavras que ouvimos hoje do Presidente da República da Ucrânia abalam-nos”, escreveu António Costa na rede social Twitter.

Nesta mensagem, o primeiro-ministro defendeu que “Portugal tem estado no lado certo: No apoio à Ucrânia nos quadros bilateral, da União Europeia, da NATO e das Nações Unidas”.

“A invasão russa da Ucrânia continua a ser uma gravíssima violação do direito internacional”, frisou o líder do executivo português.

António Costa apontou depois que Portugal participa “desde a primeira hora na onda de solidariedade para com o povo ucraniano”.

“Continuamos a acolher no nosso país milhares de refugiados e a fornecer apoio humanitário, material e militar. Mantemo-nos firmes e solidários nas sanções impostas ao regime russo”, acrescentou.

Fonte: Mundo Lusíada

Share on facebook

Notícias Relacionadas