Notícias

You are here:

Casas regionais se preparam para eventos presenciais já neste quarto trimestre

A Casa de Portugal de Campinas reuniu, no dia 24 de setembro, alguns diretores da entidade, presidentes de quatro associações co-irmãs e ofereceu um almoço. O objetivo foi recepcionar o Deputado Paulo Porto Fernandes que esteve em visita oficial ao Brasil.

O Mundo Lusíada registrou as expectativas dos responsáveis pelas entidades representadas, que se preparam para voltar com eventos presenciais a partir deste quarto trimestre, que pode representar ganhos de escassas receitas.

Casa de Portugal de Campinas

O anfitrião do almoço Vagner Vieira, presidente da Casa de Portugal de Campinas, um dos grandes prejudicados pela pandemia, disse que pretende finalizar sua gestão em dezembro de 2022 com importantes mudanças administrativas e apoio ao sucessor.

Declarando apoio total ao Dr. Paulo Porto, Vagner Vieira elogiou o deputado lembrando que ele foi eleito através dos luso-brasileiros e disse que ele tem cumprido o que prometeu, e que tem auxiliado como pode a comunidade Portuguesa e os luso brasileiros, garantindo que o deputado conta com uma grande aprovação do seu trabalho, pelas pessoas que o acompanham.

Sobre a gestão na Casa de Portugal o presidente termina o mandato em dezembro de 2022. Com paralisação de eventos e sem receitas, não há como avaliar a gestão porque teve mais de um ano e meio com agenda totalmente parada.

“Mas ainda assim fizemos movimentos internos muito importantes. Situações pendentes foram resolvidas, algumas decisões um tanto quanto ‘amargas’ para algumas pessoas, mas fundamentais por questão de melhorias na gestão administrativa”, referiu ele.

As questões, segundo explicou, não visaram pessoas ou pessoal, mas questões administrativas visando cargos e aprovações na gestão para melhor condição da Casa. “Se você está como presidente de uma casa portuguesa você tem que pensar mais na gestão, não deixamos o lado humano, mas temos que pensar na instituição, e assim conseguimos passar por essa fase até com uma certa gordurinha”.

O presidente disse que não será candidato à reeleição, mas quer sim deixar um legado importante. “Eu avisei que estava entrando para ajudar, e preparar o sucessor, temos várias situações resolvidas, temos um plano para o próximo presidente que chegar, estaremos sempre dispostos a ajudar e auxiliar no que for possível”, disse.

Vagner Vieira quer deixar um legado importante, e para tal quer alterar os estatutos na Casa de Portugal, para deixar a casa mais produtiva, mais próxima da população local, não só da comunidade portuguesa, mas do povo da cidade de Campinas, explicando que os estatutos da casa foram feitos há mais de 25 anos e já não condiz muito com as atuais necessidades da identidade.

Por conta da necessária atualização que se discute atualmente, e deve haver uma assembleia futuramente para aprovação de uma mudança que pode transformar a Casa de Portugal em um grande empreendimento comercial, podendo ficar três andares para uso da casa, por exemplo. “Seria uma grande ampliação do espaço da Casa no centro de Campinas e ainda conseguir viver financeiramente deste empreendimento, sendo que, atualmente o estatuto não permite esse tipo de mudança. Lógico que isto tem que ser feito com critério, com muito cuidado porque são questões delicadas e todas as pessoas envolvidas tem que estar sintonizadas com o pensamento na instituição Casa de Portugal de Campinas, este é o grande compromisso”, revelou o dirigente ao Mundo lusíada.

A exemplo de quase todas as entidades, em Campinas a direção identificou a ausência de pessoas mais jovens em posição de comando e sem abertura para opinião. “Pretende-se também chamar mais jovens para participarem mais das diretorias, nas decisões e com posições importantes nas gestões da casa, para seguirem com este projeto cultural importante que representa Portugal na cidade. Temos que dar voz aos jovens e permitir que eles participem mais efetivamente das decisões da casa. As nossas lideranças estão partindo e nossas casas estão ficando sem representatividade para garantir um futuro que hoje é incerto, e nós temos que pensar neste problema antes de acontecer, as ações tem que ser pensadas no presente para garantir nosso futuro”.

Grupo Luso Brasileiro Andorinhas de S. João da Boa Vista

Outra entidade presente em Campinas foi o Grupo Luso Brasileiro Andorinhas representado pelo seu presidente Luiz Fernando de Abreu Ribeiro, também o 1º secretário Miguel José Coimbra Biazzo, além do vice presidente da entidade Celso Araújo.

Ao Mundo Lusíada, Luiz Fernando atualizou a situação da entidade neste ano de pandemia, difícil em termos de receitas. Ele disse que devido a pandemia a agenda está parada já há quase dois anos e sua diretoria tem feito reuniões virtuais, mas a expectativa é grande para o próximo ano para receber algum grupo de folclore, também um jantar português, porque havia uma programação já agendada e teve que ser adiada, mas para 2022 eles pretendem realizar esses eventos.

O Grupo Andorinhas foi fundado pelo português Sr. Orlando Reis, falecido há três anos. Ele que manteve essa representação cultural portuguesa na cidade de S.João da Boa Vista e que é hoje um “orgulho” para as pessoas que mantém essas raízes.

“Por isso costumamos dizer que somos todos uma cria do Sr. Orlando, que durante 20 anos levou o Grupo Andorinhas sozinho, até encontrar o Celso, o próprio Luís, algumas pessoas ligadas à direção, além do próprio Mundo Lusíada como apoio e divulgação do legado criado pelo Sr. Orlando”.

Luiz Fernando é presidente até dezembro de 2022, portanto tem um período de pouco mais de um ano para trabalhar e tentar fazer alguma coisa depois de um ano pandêmico. Na parte da relação com a prefeitura local, ele diz ser uma relação muito próxima, boa e especialmente com o pessoal da Secretaria de Cultura. Tanto que a prefeitura deverá ceder uma área para o Grupo Andorinhas montar um espaço dentro do departamento de Cultura e realizar algumas tarefas.

Também sobre a relação com o Consulado de São Paulo, a expectativa é para retomada de conversas com o atual Cônsul e com o adjunto também.

Sobre a união das várias entidades no almoço de Campinas o presidente Luiz Fernando falou que a ideia é justamente fortalecer essas casas portugueses, especialmente do leste do Estado de São Paulo para trabalhar todo mundo mais juntos e tentar melhorar a representação Portuguesa e da cultura portuguesa na região.

Luiz Fernando de Abreu Ribeiro é de família portuguesa oriundos da Ilha da Madeira, mais precisamente do Arco da Calheta, uma freguesia do concelho da Calheta, com pouco mais de 3 mil habitantes. Luiz tem cidadania portuguesa, assim como os filhos. “Eu estou levando essa cultura portuguesa para meus filhos, para que eles mantém nossas raízes, para que não deixem morrer a história dos nossos antepassados”.

Casa de Portugal de Marília

Quem também esteve presente no almoço foi o presidente Antônio Augusto de Melo Carvalho, da Casa de Portugal de Marília, instituição cinquentenária que visa destacar e difundir os valores de Portugal nesta importante cidade do interior de São Paulo.

Antônio Augusto de Melo Carvalho falou pela primeira vez com o Mundo Lusíada e disse que, a exemplo das demais instituições, a Casa que representa também esteve parada neste ano complicado, mas já tem um evento presencial agendado para o próximo dia 09 de outubro, quando fará um jantar, uma bacalhoada em prol de entidades carentes da cidade. O presidente disse ainda que sua diretoria está começando a agilizar as agendas que foram paradas até o momento para retomada de eventos presenciais, preparando uma condição melhor para o ano de 2022.

Casa de Portugal de São Carlos

Outro presidente que também falou com nossa reportagem foi o Sr. Rui Sintra, presidente da Casa de Portugal de São Carlos, ele que esteve representando sua diretoria no almoço em Campinas, fez questão de estar presente especialmente pela consideração ao Dr. Paulo Porto, que foi no lançamento da Casa, um dos colaboradores do estatuto (base) que deu início à mais nova das casas regionais de S.Paulo.

“A relação com o Deputado Paulo Porto vai muito além de ele ser um deputado, porque ele é o apoiador inicial da Casa de Portugal, então ele é um amigo e irmão dentro do contexto português, e ele estará sempre no nosso coração seja ele deputado ou não, mas estará sempre conosco”, declarou Rui Sintra.

Sobre a presença (e representatividade) de algumas entidades presentes, disse que o Dr. Paulo Porto “consegue agregar, unir essas pessoas como a Casa de Portugal de Marília por exemplo, que nós não conhecíamos ainda, então essa presença do deputado faz com que nós possamos nos conhecer ainda mais”, disse.

Sobre a expectativa da volta dos eventos na cidade de São Carlos, Rui Sintra disse que deve ter algumas novidades no mês de novembro, com eventos presenciais respeitando os protocolos. No entanto se a situação pandêmica regredir, a casa deve cancelar possíveis agendas que forem sendo divulgadas.

Fonte: Mundo Lusíada

Share on facebook

Notícias Relacionadas