Notícias

You are here:

Portugal bateu recorde em 2020 com cerca de 380 ME de exportações para Cabo Verde

Portugal bateu em 2020 o recorde com cerca de 380 milhões de euros em exportações de bens e serviços para Cabo Verde e recuperou a primeira posição de maior investidor estrangeiro no arquipélago, disse fonte oficial.

“De facto, 2020 foi o nosso melhor ano de sempre em termos de exportações de bens. Foi um bom ano em termos de investimentos estrangeiros, recuperamos a primeira posição em Cabo Verde em termos de investidor estrangeiro, o que nos permitiu consolidar a nossa posição como principal parceiro econômico de Cabo Verde”, disse o diretor da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) em Cabo Verde, Paulo Borges.

De acordo com o mesmo responsável, em 2020, não obstante a pandemia da covid-19, Portugal teve cerca de 380 milhões de euros de volume das exportações de bens e serviços para Cabo Verde.

Agroalimentar, produtos agrícolas, materiais de construção, combustíveis e medicamentos foram os principais produtos exportados para Cabo Verde por mais de 2.000 empresas portuguesas, sobretudo micro, pequenas e médias empresas.

Para o diretor da AICEP em Cabo Verde, esses dados explicam-se porque as relações entre os dois países vão muito além da parte econômica, e mesmo com a suspensão das ligações marítimas e aéreas de passageiros, Portugal nunca interrompeu as ligações de mercadores com Cabo Verde por causa da pandemia da covid-19.

“A nossa área logística e de Cabo Verde teve uma importância fundamental, porque conseguiu garantir sempre a Cabo Verde o abastecimento de bens essenciais, como os alimentares, medicamentos ou materiais de construção”, frisou o responsável à Lusa, à margem de um workshop, na cidade da Praia, sobre as relações empresariais entre Cabo Verde e Açores.

Apesar de ainda continuar a sentir os impactos da pandemia da covid-19, Paulo Borges disse que as exportações portuguesas para Cabo Verde já estão a crescer novamente a cerca de 6%, em relação ao ano passado.

“Tudo indica que, como a retoma da economia que já se sente, vamos bater novamente um recorde e será o nosso melhor ano de sempre em termos de exportações de bens”, perspetivou, dizendo que Cabo Verde é um mercado que permite às empresas portuguesas iniciar o processo de internacionalização “sem grandes problemas”.

Relativamente à importação de produtos cabo-verdianos, aquele diretor da AICEP disse que houve uma quebra, porque Portugal importada sobretudo vestuário e calçado de empresas lusas instaladas em Cabo Verde, que enfrentaram muitas dificuldades no ano passado.

A AICEP é a agência responsável pelo acolhimento de projetos de investimento, de origem nacional ou estrangeira, em Portugal, fazendo o acompanhamento de todas as etapas do projeto e fornece aconselhamento e “informação à medida” das necessidades dos clientes.

A agência cobre toda a cadeia de valor da economia portuguesa, através de serviços orientados ao cliente, sejam empresas portuguesas, sejam investidores estrangeiros, contribuindo, assim, para a notoriedade da imagem de Portugal no mundo.

Em outubro de 2020, a AICEP e a Cabo Verde TradeInvest assinaram um protocolo para aumentar as relações econômicas e comerciais entre os dois países, facilitando a circulação de informações sobre negócios.

Em dezembro de 2019, durante um fórum econômica na cidade da Praia, o secretário de Estado Adjunto e da Economia de Portugal, João Neves, afirmou que cerca de 3.000 empresas portuguesas exportam para Cabo Verde e o volume das trocas comerciais entre os dois países rondava os 450 milhões de euros anuais.

“É bem elucidativo do interesse do tecido empresarial de Portugal no mercado cabo-verdiano. A base de exportação portuguesa cobre praticamente todas as áreas da atividade econômica e categoria de produtos”, apontou na altura o governante português.

Fonte: Mundo Lusíada

Share on facebook

Notícias Relacionadas