Notícias

You are here:

A importância do background check para o negócio de franquias [EthQuo]

O segmento de franquias é pródigo em empreendimentos pensados para a replicação vigorosa de modelos de negócio vitoriosos, com exploração intensiva de produtos e marcas, através de fortes ações de marketing.

Processos sólidos, produtos de alta qualidade, profundo conhecimento do público consumidor, divulgação inteligente de marcas e produtos, além da seleção cuidadosa dos pontos de venda são algumas das preocupações chave na agenda estratégica das franquias, e que servem de sustentação para o binômio “replicação de modelo + exploração de marca”.

A interação entre as entidades franqueadoras (estratégia, modelo de negócios e marketing), os franqueados (execução da estratégia e operação) e os fornecedores (qualidade e tempestividade de fornecimento) forma uma engrenagem de negócio com múltiplos atores, vocacionada para atingir níveis de crescimento elevados.  Seu adequado funcionamento aumenta substancialmente o potencial de sucesso do negócio, naturalmente beneficiando todos os envolvidos.

Por outro lado, essas altas taxas de crescimento sustentadas em múltiplos atores – características fundamentais das franquias – também trazem riscos relevantes e quase sempre “silenciosos”, não raro com impacto crítico (e às vezes fulminantes) a certas marcas ou mesmo ao negócio como um todo.  Alguns desses riscos são decorrentes de desvios pontuais na conduta ético-reputacional de franqueados ou de fornecedores, mas que podem se propagar negativamente para todo o empreendimento.

A seguir compartilhamos exemplos de algumas situações, adaptadas de casos reais, que ilustram a dimensão de riscos de natureza ético-reputacional para o segmento de franquias.

 

Case nº1:  Um dos franqueados de uma rede de franquia de serviços de beleza feminina foi condenado com base na lei Maria da Penha, por agressão à cônjuge.  Há riscos para a franquia?  Como a franqueadora poderia detectar preventivamente essa situação?

– Este é um caso clássico de situação pessoal de franqueado que pode trazer riscos de imagem imensos para a marca, principalmente no tocante aos temas da agenda de gênero.  A prática de background check ajuda a franquia a detectar tais casos preventivamente e permite que medidas mitigatórias sejam tomadas antes que a notícia se espalhe e danos sejam causados.

 

Case nº 2:  Uma rede de franquia de vestuário ouve rumores de que um de seus fornecedores emprega trabalhadores em condições análogas à escravidão.  Há riscos para a franquia?  Que ferramentas a franqueadora pode adotar para acompanhar desvios desta natureza?

– Situações deste tipo podem ser fulminantes para a imagem da franquia e, em situações extremas, também podem resultar em grave responsabilidade trabalhista ou cível para a franqueadora. Uma prática de monitoramento de compliance de segmentos específicos de fornecedores, ou de todos eles, ajuda a franquia a se prevenir contra riscos associados a trabalho escravo e a manter uma cadeia de suprimentos saneada.

 

Case nº 3:  Uma rede de franquia de restaurantes vê sinais de fragilidade financeira em um de se seus fornecedores, por conta de pendências de crédito comentadas no mercado.  Há riscos para a franquia?  Como a franqueadora pode obter mais informações a esse respeito?

– Dificuldades financeiras de fornecedores podem desencadear falhas no calendário de fornecimento ou na qualidade dos insumos vendidos à franquia, causando perdas em vendas ou no grau de satisfação de clientes.  O monitoramento de compliance de fornecedores proporciona uma visão da saúde financeira dos atores da cadeia de suprimentos e permite uma reação antecipada a situações de aparente debilidade financeira localizada, garantindo a sustentabilidade do ciclo operacional do negócio como um todo.

 

Case nº 4:  Uma rede de franquia de cosméticos de origem natural fecha contrato com um franqueado que também é dono de uma propriedade rural com sanção por crime ambiental.  Há riscos para a franquia?  Como isso poderia ter sido evitado?

– Este franqueado apresenta um histórico de infrações ambientais que conflita com o propósito da marca e isto pode causar danos graves à marca ou à franquia como um todo.  O background check de franqueados revelará situações desta natureza antes que o contrato de franquia seja firmado e permitirá que o negócio se proteja de forma mais efetiva.

 

Os cases acima retratados são adaptações de situações reais enfrentadas por franquias.  E que poderiam ter sido evitadas!  Práticas de background check e subsequente monitoramento regular de compliance são instrumentos poderosos para proteção de valor das franquias, e que devem integrar as políticas e os processos de governança e conformidade de redes de qualquer tamanho.  As tecnologias atualmente disponíveis suportam esses processos com um baixo investimento financeiro, alto nível de assertividade e de forma muito pouco invasiva – o que favorece a prioridade em sua implementação por parte das entidades franqueadoras.

Na EthQuo, investimos fortemente em tecnologias para background check, monitoramento de compliance e outras atividades que possibilitem às franqueadoras prevenir, com efetividade e velocidade, riscos ético-reputacionais associados a franqueados e fornecedores, sem a necessidade de grandes investimentos.  Se o tema lhe interessar, fique à vontade para nos chamar em:  contato@ethquo.com

Fonte: Assessoria
Share on facebook

Notícias Relacionadas